Érica

Thaís, adoro seus videos e adoro você, torço sempre por você!

Gostei demais de você ter falado sobre o pânico, e ate hoje eu me lembro das coisas que você dizia pra mim.

O que eu queria muito que as pessoas soubessem é que o treinamento de identificação dos pensamentos automáticos é fundamental, e é possível parar a crise se, no meio dela, fizermos um esforço para lembrar que aqueles pensamentos não são reais.

Você me passou um exercicio de cartões cognitivos, que são aqueles em que escrevemos o que pensamos e damos uma lida de vez em quando, e neles eu mando meus recados a mim mesma. Isso ajudou muito a fixar a ideia de parar os pensamentos catastróficos: "não é minha culpa", "isso passa", "mal-estar fisico não significa que eu esteja doente".

Isso ajudou muito.

E é importante as pessoas terem paciência, porque a melhora pode demorar para vir, não significa que não virá.

Eu lhe devo muitos agradecimentos.

Tathy
Dentista

Nesse período em terapia vi claramente que o que mudou para mim foi o fato deu não ter que, necessariamente, AMAR atividade física (nem mesmo a própria dieta), para fazê-las. Como isso foi LIBERTADOR para mim! Eu acreditava que o emagrecimento só iria acontecer, caso eu me transformasse naquelas pessoas que só falam sobre isso, que só pensam nisso, que baseiam toda sua vida nessa meta. Era muito difícil me imaginar sendo essa pessoa e, portanto, desanimador. Aprendi que o importante é ter um objetivo claro em mente e seguir à diante para conseguir concretizá-los. Você me ensinou que nem sempre na vida adulta podemos fazer apenas aquilo que nos dá prazer. Parece um conceito simples de assimilar, mas só mesmo em terapia que cheguei a ter essa visão.

Outra coisa que para mim foi muito importante é que, tendo me livrado desse pensamento de que eu deveria ser uma pessoa que amava TODO o processo, eu me livrei também da coisa que me fazia querer ser sempre perfeita. Ser perfeita fazia com que eu me preocupasse, muita das vezes, mais com os resultados que eu iria mostrar para os médicos, os nutricionistas e o pessoal do blog, do que resultados para mim mesma, respeitando minha realidade e meus limites. Eu achava que como não conseguia seguir as coisas mirabolantes que eram passadas a mim (e que eram totalmente fora da minha realidade) que eu era uma fracassada. Uma dessas pessoas que desistem fácil das coisas. Junto a você neste trabalho, percebi que precisamos escolher a dieta e atividade física que se encaixem com nossa realidade e que não tem nada de errado em sermos sinceros com os demais profissionais e com a gente mesmo.

Foi uma grande experiência para mim. Eliminei alguns quilos durante esse processo em terapia, agora faço cronogramas de atividade física e os cumpro (naquele esquema de colar adesivos quando completados) e faço a dieta que atende minhas necessidades, mas dentro do contexto que vivo. Não me culpo mais se nem todos os dias dá para comer certos alimentos caros receitados e nem faço mais estoque de comida só para ficar vendo que estou na dieta sem ter a menor vontade de comê-los. Aprendi que quando tentamos ser perfeitos, o caminho fica mais árduo. Quando tentamos apenas mais acertar do que errar, a relação com a gente mesmo fica muito mais fácil.

Obrigada pela parceria.Foi um prazer ter realizado esse trabalho junto a você.Conte comigo para o que precisar sempre.

Rachel

Em primeiro lugar, gostaria de agradecer imensamente pelo profissionalismo e empenho com que realizou seu trabalho neste período de psicoterapia, o que muito me felicita por saber que a profissão que escolhi abraçar possui excelentes profissionais competentes e engajados com a saúde mental dos que buscam melhorar como pessoas.

Acredito que grande parte das minhas conquistas se devem ao empenho mútuo nesta caminhada, que não é fácil, sabemos bem, pois mudar padrões de comportamento e pensamentos necessita de empenho e muita dedicação de ambas as partes.

Pensando sobre tudo o que discutimos, pude perceber que hoje sou uma pessoa muito mais feliz com as minhas escolhas, assim como com as dificuldades apresentadas no dia a dia em minha nova função.

Acredito que tenho muito a aprender sobre mim e que este foi somente o primeiro passo, para vislumbrar novas conquistas e mudanças construtivas em minha vida.

Obrigada mais uma vez, lembrando que a TCC por ser uma abordagem psicoterápica focal, não deixa de ser efetiva, apenas gerencia de forma mais direta os problemas no presente, pensando no futuro, levando em consideração as necessidades imediatas do cliente, com um efeito satisfatório e comprovado por mim em curto período de tempo, demandando somente vontade e compromisso por parte de quem a procura.

Daniela
Psicóloga

A TCC me ajudou de maneira rápida e definitiva a vencer a síndrome do pânico, auxiliando a recuperar minha auto-estima e auto-controle, fatores fundamentais para que eu pudesse vencer este desafio. O melhor de tudo é que ela não nos dá o resultado por si só, ela nos ensina a chegar neste resultado e também a manter o mesmo. Seguindo uma analogia, ela não nos dá o peixe e sim nos ensina a pescar.

Ronie
Executivo

Gostaria de agradecer a Thaís Petroff por todo o empenho dedicado no processo de coaching, onde tive a oportunidade de aprender e praticar alguns dos conceitos da Terapia Cognitiva Comportamental.

Durante boa parte de minha vida busquei sempre o melhor e, às vezes o melhor como ideologia. Por um lado isso foi positivo, mas havia situações em que essa busca era entrelaçada por pensamentos que travavam e muito meu potencial de viver e de realizar. Através do processo de TCC pude rever meus pensamentos dominantes, questioná-los, relativizá-los, encará-lo, diminuindo seu poder sobre minha mente e criando novas formas de pensar e agir. Como resultado minha vida se tornou muito mais produtiva e senti forte efeito na redução de minha ansiedade. Avancei muito e sei que tenho uma longa jornada pela frente. Hoje sou um grande admirador do trabalho realizado com profissionalismo e sensibilidade da Thais Petroff. Definitivamente só fã do Modelo Cognitivo e recomendo a todos que solicitarem qualquer referencia.

José Roberto
Diretor de Comércio Exterior

Com a Thais entendi que definitivamente há momentos na vida que não conseguimos – sozinhos - organizar ideias, rever pontos, aceitar situações e enxergar algo que explicitamente nos incomoda. E entendi também que a terapia não “muda” nada. Mas nos coloca frente a elas e simplesmente nos dá opções para encontrar um melhor caminho de enfrentá-las. Simples assim... nada complicado! Basta querer. Eu tinha alguns pavores. Confesso que ainda tenho alguns. Mas lido com eles de uma forma diferente. Por exemplo: eles não me sufocam mais. Seria ótimo se todos tivessem oportunidade de conhecer este trabalho e aproveitar o que ele traz de melhor prá gente.

Denise Spada
Treina - Educação Corporativa