Blog

Centenas de textos para te ajudar a se sentir melhor!

Motivação e Criatividade

A Estratégia de Criatividade de Walt Disney ou Técnica Disney, é uma forma de organizar o seu
pensamento para melhorar a sua capacidade de alcançar metas ou sonhos.

Foi idealizada por Todd Epstein e Robert Dilts, dois trainers de PNL da costa oeste dos Estados
Unidos. Eles modelaram o método utilizado por Walt Disney para transformar as suas ideias em
realidade. Eles reconheceram que Disney usou três tipos de pensamento: sonhar acordado ou
fantasiar, planejar e ser crítico construtivo.
Muitas pessoas também fazem isso, a diferença é que a abordagem que Disney utilizou era de
submeter suas grandes ideias a esses estilos sequencialmente, enquanto a maioria das pessoas usa
todos os três estilos ao mesmo tempo, produzindo um pensamento confuso e embaralhado o que
pode resultar no abandono de grandes ideias.
Preparando-se:
• Estipule 3 lugares diferentes para cada estilo de pensamento (3 cadeiras, 3 almofadas, 3 pontos
diferentes no chão):
1. Sonhador: aqui você deixa a sua imaginação correr solta. Pensa em todas as possibilidades
possíveis para resolver o problema ou imagina como será estar vivenciando seu sonho.
2. Realista: aqui você age como se o plano fosse perfeitamente possível e sua função é procurar
modos para fazer isso acontecer.
3. Crítico: aqui você procura falhas e brechas no plano. Atue como um crítico construtivo.
Destine-se a encontrar os pontos fracos, prevenir problemas e garantir o sucesso do plano – mas
deixe a resolução dessas fraquezas potenciais para o Realista.
Anexando sentimentos para cada lugar:
Para ajudá-lo a entrar no estado emocional ideal para cada um dos papeis, ancore (entre em
contato com essa emoção e a associe ao respectivo papel) posicionado-se no lugar físico aonde
você determinou que este ficará:
1. Sonhador: pense nos momentos em que você esteve sonhando acordado, fantasiando ou
permitiu que a sua imaginação corresse solta e sem restrições. Agora entre no lugar do Sonhador
e, por alguns minutos, reviva um ou dois desses momentos.
2. Realista: pense nas vezes em que você esteve envolvido com entusiasmo no planejamento de
coisas como o trabalho ou com projetos pessoais ou das férias em família. Agora entre no lugar do
Realista e por alguns minutos reviva um ou dois desses momentos.
3. Crítico: pense em uma ou duas vezes em que você foi capaz de criticar construtivamente seus
próprios planos ou os dos outros. A ênfase aqui é fazer crítica construtiva e não destrutiva. Pense
no estado de espírito e na fisiologia que você usou. Agora entre no lugar do Crítico e reviva esses
momentos.
Colocando em prática:
1. Sonhador
Entre nesse lugar. Conecte-se com o sentimento de liberdade e de sonhar sem inibições, como se
tudo fosse possível. Comece seu brain storm de levantamento de soluções para o problema em
questão ou imagine-se já vivenciando seu sonho.
Para ajudá-lo a pensar com mais clareza, se estiver fazendo a estratégia sozinho, faça cada
pergunta em voz alta e também responda em voz alta:
• O que eu quero?
• O que eu vou estar fazendo – e onde eu vou estar fazendo isso?
• Quando vou começar? Onde? Por quê?
• Quais são os benefícios de se alcançar isso?
• O que isso significa para mim como pessoa?
• Como é que isso vai beneficiar aqueles que estão próximos de mim?
• Quais são todas as possibilidades que tenho para resolver esse problema?
2. Realista
Entre no lugar. Conecte-se com seus sentimentos no “modo de planejamento”. Agora, agindo como
se o sonho fosse totalmente possível e viável para você, venha com um plano para torná-lo
realidade.
Faça isso de uma maneira prática e realista. Comece a desenvolver um plano de ação detalhado e
gerenciável. Pergunte-se:
• Como posso fazer esse sonho acontecer?
• Quais são as principais partes ou seções deste plano? Como é que eles seguem um ao outro?
• Que passos devo tomar para fazer com que cada segmento aconteça?
• Por que esse passo é necessário? E esse? E esse?
• Que recursos (tempo, pessoas, dinheiro, etc.) eu preciso para fazer isso acontecer?
• O que eu vou ver e ouvir quando chegar lá e que será a prova de que cada passo foi
concretizado?
• O que eu vou ver e ouvir quando chegar lá e que será a prova de que o sonho foi alcançado? (ou
de que o problema foi resolvido?)
3. Crítico construtivo
Passe para esse lugar – e lembre-se que você está agindo como um crítico construtivo.
• Quais são os pontos fracos nesse plano?
• O que está faltando?
• O que é inadequado?
• Que problemas podem ocorrer?
• Quem poderia objetar? Quem será afetado desfavoravelmente por ele?
• Quando e onde ele pode não funcionar? Ou não ser desejável?
• Mais alguma deficiência nesse plano?
Se necessário, refaça o ciclo
1. Após ter completado o estágio do Crítico mova-se de volta para o lugar do Realista.
2. Agora reveja o plano (mas não o sonho) com base nos comentários do Crítico.
3. Em seguida, volte para o lugar do Crítico e avalie o plano revisado.

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *